DTV News

ATSC: Conheça o sistema de transmissão digital de última geração

Tecnologia permite que as emissoras ofereçam mais serviços, com mais qualidade para receptores móveis e fixos

O Fórum SBTVD conversou com Madeleine Noland, presidente do Comitê de Sistemas de Televisão Avançada (ATSC), porta-voz responsável pelo desenvolvimento do ATSC 3.0, tecnologia candidata do Call for Proposals da TV 3.0.

Madeleine explica que o ATSC 3.0 corresponde a um conjunto de padrões que especifica um dos sistemas de transmissão digital de última geração mais avançados do mundo. O ATSC 3.0 é um sistema completo que engloba a camada física, transporte, áudio, vídeo, legendas, interatividade, mensagens de emergência, segurança e datacasting, entregando serviços de televisão e dados pra receptores fixos e móveis.

A camada física inclui tecnologias de última geração, tornando o sistema de transmissão broadcast eficiente, uma vez que ele opera mais próximo do limite de Shannon e tolera o efeito Doppler para receptores móveis. O ATSC 3.0 está alinhado com outras redes de entrega de dados, usando um backbone de transporte IP e referenciando muitas tecnologias comumente usadas em redes IP, como HTML5, CENC, CSS, JavaScript, DASH e outras. Além disso, o sistema é flexível, com inúmeros mecanismos para uma evolução harmoniosa do sistema conforme as demandas do mercado. ATSC 3.0 é um padrão totalmente maduro com implantações comerciais na Coreia do Sul desde 2017 e nos Estados Unidos desde 2020.

O ATSC 3.0 está alinhado com os requisitos do “Call for de Proposals” da TV 3.0 do Fórum SBTVD. Ele se apresenta como um sistema completo e moderno de ponta a ponta, e que atende praticamente todos os requisitos da TV 3.0.

Além da camada física mais eficiente, o sistema suporta recursos avançados de áudio, vídeo e captions (HDR, WCG, UHD, HRF, áudio imersivo, IMSC1), mensagens de emergência avançadas capazes de despertar o receptor e mensagens direcionadas geograficamente, inserção de anúncios direcionados, serviços apenas de áudio, serviços de datacasting para Internet of Things (IoT).

“O sistema é extensível, permitindo que as emissoras mudem conforme as demandas do mercado e as tecnologias evoluem. Por exemplo, a ATSC está atualmente estudando tecnologias adicionais que podem coexistir com especificações existentes, como VVC, Broadcast Core Network, CMAF, Comunicações entre torres e muito mais”, explica Madeleine.

Além disso, destaca que, o ATSC 3.0 é um sistema extremamente eficiente, permitindo que as emissoras entreguem mais serviços com maior qualidade para receptores móveis e fixos como nunca antes visto. Além de “TV evoluída”, o sistema permite que as emissoras aprimorem as mensagens de emergência e utilizem segmentação geográfica. Outro ponto forte está no ATSC 3.0 datacasting, que pode ser utilizado para uma larga variedade de aplicações, incluindo EAD (Ensino a Distância) que pode ter um impacto positivo à realidade brasileira, onde existem áreas com serviços de banda larga limitados ou nenhum serviço presente.

Por fim, Madeleine enfatiza que, o ATSC 3.0 oferece suporte aos novos modelos de negócios das emissoras, como publicidade direcionada, t-commerce, personalização, entre outros, possibilitando uma variedade de oportunidades de crescimento econômico.