Nota30.09

 

No dia 29 de setembro, diversas emissoras de TV da cidade de Brasília se reuniram no Ministério das Comunicações para apresentar as últimas atividades desenvolvidas para informar à população sobre o desligamento do sinal analógico no Distrito Federal.

De acordo com o coordenador de programação da TV Senado, Alberto de La Peña, hoje, a emissora cumpre todas as disposições legais e já opera com os dois sinais. Desde abril deste ano, a TV Senado vem divulgando uma campanha sobre o desligamento do sinal analógico para que os cidadãos se adaptem à mudança.

De acordo com o conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Rodrigo Zerbone, 85% da população do Distrito Federal já está preparada para o sinal digital. “Temos bastante tranquilidade em relação a essa data para Brasília, porque fizemos um trabalho de planejamento e de reavaliação do processo. Já temos um piloto feito em Rio Verde, a primeira cidade do Brasil a ser desligada. E toda essa experiência, trazida para Brasília, possibilitou que já alcancemos hoje percentuais muito elevados da população preparados para receber o sinal digital”.

A secretária de serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Vanda Jugurtha  Bonna Nogueira, disse que Brasília passa pelo processo de desligamento do sinal analógico com tranquilidade e que o desafio será a capital paulista, em março de 2017. “São Paulo tem tudo: é enorme e no mesmo  bairro se encontram pessoas carentes e pessoas de alto poder aquisitivo. Então vai ser um grande desafio. Mas nós vamos enfrentá-lo”.

Brasília será a primeira capital e a segunda cidade a realizar o desligamento do sinal analógico de televisão. Em 2017, está previsto o desligamento em outros 348 municípios, de oito estados brasileiros.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota29.09

 

Com o objetivo de ampliar o alcance sobre os detalhes do fim do sinal analógico e a implantação do sinal digital nas emissoras, a TV Globo assinou uma parceria com o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

Com a parceria, a Patrulha Digital, projeto da emissora voltado à formação de multiplicadores do conhecimento sobre a digitalização da televisão, chega aos alunos de mais de 38 instituições de tecnologia que fazem parte do Conif.

A Patrulha Digital já formou mais de três mil multiplicadores. Aulas com profissionais da Globo e de instituições parceiras são oferecidas a alunos de cursos técnicos, que atuam voluntariamente, tirando dúvidas da população e auxiliando na correta instalação de equipamentos.

O trabalho junto com o Conif faz com que as campanhas sobre a TV digital sejam multiplicadas e ajudem ainda mais a população a respeito do processo da digitalização, desde os benefícios até instalações dos conversores e antenas.

O Conif é uma instância de discussão, proposição e promoção de políticas de desenvolvimento da formação profissional e tecnológica, pesquisa e inovação, que congrega 38 institutos federais, dois Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) e o Colégio Pedro II.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota28.09

Desde agosto em fase de teste, o sinal digital na TBC (TV Brasil Central), emissora de Goiás afiliada à TV Cultura, vai ser inaugurado na primeira quinzena de dezembro. A data foi definida depois que a comissão criada na Agência Brasil Central (ABC), com o objetivo de finalizar a implantação do sistema de alta definição na TV, apresentou o resultado dos estudos realizados ao presidente, Humberto Tannús Júnior.

De acordo com o coordenador do grupo de trabalho, Rodrigo Leandro, restam poucos detalhes para finalizar a migração. “Pequenos ajustes ainda estão sendo feitos. É necessária a total confiabilidade operacional dos novos equipamentos”.

Na prática, a mudança representa melhor qualidade de som e imagem. Será o fim definitivo aos ruídos e chuviscos que, no caso do sinal analógico, podem aparecer no aparelho televisor. Vale lembrar que o processo de digitalização da emissora começou em 2011 e demandou investimentos de aproximadamente R$ 20 milhões, recursos obtidos por meio de financiamento junto ao Banco do Brasil.

O presidente da emissora avalia que o novo sistema de transmissão vai tornar a TBC não só mais competitiva, como também será importante para implementar uma área comercial mais forte.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota13.09

Inter TV Grande Minas, afiliada à Rede Globo, implantou no mês de agosto o sinal digital nas cidades de Manga e Porteirinha, situadas ao norte do estado mineiro, que foram agraciadas com o que há de melhor em som e imagem para as transmissões da emissora.

Para que o sinal chegasse aos municípios, foi necessário um longo tempo de trabalho. “Tivemos todo um processo a ser feito para conseguir implantar o sinal nas cidades. Recentemente que obtivemos a autorização do Ministério das Comunicações para implantar o sinal em Manga e Porteirinha, e tudo foi possível só com a devida tramitação”, explica Filipi Librelon, supervisor técnico de engenharia da emissora.

O sinal digital vai proporcionar aos telespectadores uma qualidade incomparável nas imagens. “A população vai ter uma grande qualidade na recepção do sinal transmitido pela Inter TV. Vai melhorar a questão de acesso, sinal menos ruidoso, melhor definição, além de poder usufruir das novas tecnologias”, enfatiza Librelon.

Em Manga, a transmissão digital da Inter TV pode ser sintonizada no canal 5.1, e em Porteirinha, no 10.1.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota12.09

 

As emissoras de TV estão se preparando para digitalizar seus sinais em municípios pequenos e cumprir o cronograma definido pelo governo. Entre 2019 e 2023, haverá o desligamento do sinal analógico nessas regiões, impactando uma audiência estimada em 77 milhões de pessoas.

Em conversa com o NaTelinha, Roberto Franco, diretor de redes e afiliadas e assuntos regulatórios do SBT, aponta a crise financeira de algumas prefeituras como fator que dificulta a digitalização de alguns locais. “O SBT tem tomado todas as providências para que nenhuma cidade fique de fora. Existe uma grande dificuldade, que no passado foi atendida pelas prefeituras, mas que no presente não tem como financiar como fizeram antes. As emissoras e o governo encontrarão uma solução para manter o acesso de todos os brasileiros a esse meio tão importante que é a TV aberta”.

Já o diretor de tecnologia da Globo, Raymundo Barros, defende o compartilhamento de infraestruturas entre as emissoras como um caminho para atingir a meta e evitar que 4.244 municípios fiquem sem TV aberta. “No caso da Rede Globo, já cobrimos hoje 20 milhões desses habitantes. O grande desafio será digitalizar os 57 milhões não cobertos e acreditamos que uma forma inteligente e viável de endereçar essa questão é buscar o compartilhamento de infraestrutura entre todas as Redes, não apenas abrigo, torre e energia, mas também com antenas e transmissores modulares. Essa é uma forma de vencer este grande desafio e cumprir a meta”.

Segundo Barros, este é um processo que exige a união de todas as partes. “Essa colaboração é fundamental para acelerar a implantação do sistema e para esclarecimento da população. O Japão, por exemplo, fez um processo de switch off que deve ser seguido. Para que a migração acontecesse de forma satisfatória, foram visitados 20 milhões de domicílios”.

A Globo atualmente cobre 100% dos habitantes cujos municípios têm o desligamento previsto para o final de 2016, e 97% e 88% dos moradores que vão passar pelo mesmo processo em 2017 e 2018, respectivamente, com 547 estações digitais no ar em todo o Brasil.

“Outro fator importante para atingir a meta, além dos investimentos e compartilhamento de infraestruturas, é o processo de ações efetivas de comunicação. A Rede Globo realiza diversas ações voluntárias como campanhas nacionais e treinamentos para o varejo e antenistas. Uma ação muito representativa, por exemplo, é a Patrulha Digital, na qual investimos na formação de multiplicadores nas localidades que estão sendo digitalizadas. Com parceiros locais, capacitamos jovens de cursos técnicos do SENAI para que tirem dúvidas da população e auxiliem na correta instalação dos equipamentos”.

Já a Record, por meio da assessoria de imprensa, informou que está investindo na ampliação da cobertura, ao mesmo tempo em que lida com o desafio de conquistar concessões de outros canais. “Temos um desafio em algumas cidades que ainda dependem da concessão de novos canais, parcerias com prefeituras e transmissores adequados. Em alguns casos, a recepção que hoje é feita por parabólica, pode passar a receber sinal livre, aberto, gratuito e terrestre”.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota08.09

O superintendente do Grupo RIC em Santa Catarina, Reynaldo Ramos, e o diretor regional, Silvano Silva, estiveram reunidos com autoridades, representantes de entidades e imprensa em Canoinhas/SC e Mafra/SC, no final de agosto, para lançar o sinal HD da RICTV Record. Agora, os moradores das duas cidades podem sintonizar a emissora e ter a qualidade de cinema dentro de casa.

Em Canoinhas, o lançamento foi durante um almoço no Hotel Planalto, e no fim do dia, o evento aconteceu no Hotel Susin, em Mafra. Desde 2011, quando a RICTV Record iniciou o processo de digitalização das emissoras, mais de R$ 35 milhões já foram investidos em tecnologia de ponta para garantir ainda mais qualidade de som e imagem aos telespectadores. 

O diretor regional destacou a importância desse investimento. “Nossa matéria-prima é o som e a imagem de qualidade. Por isso, temos investido, feito cada vez melhor e avançado o estado a dentro para dar oportunidade às pessoas de verem uma televisão de qualidade com uma programação nacional espetacular e regional cada vez melhor”.

Para assistir, basta fazer a busca automática pelo canal. Em Mafra, está sintonizado no 55.1 e em Canoinhas no 11.1.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota05.09

 

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) divulgou a relação dos 966 municípios brasileiros que vão ter o sinal analógico de televisão desligado em 2018 e passam a contar somente com o sinal digital. A portaria nº 3.493, publicada no Diário Oficial da União, também estabelece os novos requisitos do conversor digital distribuído aos beneficiários do programa Bolsa Família e do Cadastro Único. Ao todo, o sinal analógico será desligado em 1.326 cidades.

A nova portaria complementa outras duas portarias, publicadas anteriormente, que detalham o cronograma de implantação do sistema de TV digital no país. O documento também determina mudanças no conversor digital, de acordo com o que foi proposto e autorizado pelo Grupo de Implantação da TV Digital (Gired). O equipamento garante a interatividade para o telespectador e terá, obrigatoriamente, controle remoto, interface USB, dois tipos de saída de áudio e vídeo, além de permitir a utilização de recursos de acessibilidade.

Os conversores digitais com essa configuração começam a ser entregues às famílias do Cadastro Único na capital e outras cidades de São Paulo ainda neste ano. Nestas cidades, o desligamento do sinal analógico de televisão está previsto para 29 de março de 2017.

O gestor do processo de implantação da TV digital do MCTIC, William Zambelli, explica que o objetivo dessas diretrizes é garantir que uma parcela maior da população carente não fique sem sinal de televisão nas localidades onde ocorre o desligamento do sinal analógico até dezembro de 2018.

Ainda de acordo com a portaria 3.493, as cidades que não estão listadas nos cronogramas de 2016, 2017 e 2018 devem ser desligadas até 31 de dezembro de 2023. Com o desligamento analógico, a faixa de frequência de 700 MHz fica livre para a expansão da internet 4G em todo o Brasil.

Confira a portaria com a lista de cidades que serão desligadas em 2018 e os requisitos dos conversores aqui.

Publicado em NOTÍCIAS

 Balanço Fórum SBTVD

 

Foram três de dias exposição, com milhares de visitantes e uma quantidade numerosa de negócios realizados e prospectados. A perspectiva positiva ao final do SET Expo 2016 também é compartilhada pelo presidente do Fórum SBTVD, Roberto Franco, que avalia como essencial a participação da entidade em mais uma edição do evento.

A presença, como Franco explica, se faz necessária devido à representatividade do Fórum para o mercado de televisão aberta no País. “É de extrema importância fazemos parte de um evento, por meio do qual todas as categorias dessa cadeia interagem. Participamos não apenas para buscar oportunidades, mas também para entendermos quais serão as próximas demandas”.

O espaço apresentou as características e benefícios da TV Digital aberta no Brasil, enfatizando a gratuidade e fácil acesso da tecnologia por qualquer cidadão. Na visão do presidente, o trabalho só tende a aumentar por conta da chegada de novas tecnologias de transmissão. “Com a expertise adquirida ao longo de todos esses anos, o Fórum SBTVD tem muito a contribuir com o futuro da televisão”.

Publicado em NOTÍCIAS

Mackenzie

O Laboratório de TV Digital, da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, é pioneiro no desenvolvimento de hardware voltado para aplicações de TV Digital no Brasil, com diversas soluções consolidadas no mercado.

Agora, em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o Laboratório apresenta mais uma de suas inovações: o dispositivo MackTuner-8. O equipamento tem como principal função a captura simultânea de até oito canais (OctoTuner) de TV Digital aberta, no qual pode-se fazer a análise qualitativa do sinal de RF, gravação ou transmissão via IP de TS dos sinais de vídeo e áudio capturados.

Os sinais de TV são captados por uma antena e enviados para a MackTuner-8, em que até oito canais podem ser analisados em tempo real. A conexão com o dispositivo é feita por meio do barramento PCI-e, por onde os dados de controle são enviados e o sinal de vídeo e áudio são transmitidos. Há então a possibilidade de gravação local ou transmissão via IP destes sinais. 

Publicado em NOTÍCIAS
Sexta, 15 Julho 2016 21:48

Criação do SBTVD completa dez anos

Nota15.07 

A criação do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) completa dez anos nesta quinta-feira (30). A publicação do Decreto 5.820/06  estabeleceu as diretrizes para a migração do sinal analógico para o digital, que permite à população receber uma programação com melhor qualidade de imagem e som, sem interferências como chuviscos ou fantasmas. A televisão é o meio de comunicação mais popular do país, presente em 97% dos lares, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As vantagens do sinal digital incluem também a capacidade de ser assistida em dispositivos móveis; a multiprogramação, que comporta a transmissão de diferentes programações em um mesmo canal; e a possibilidade de interatividade por meio do Ginga, o middleware nacional para a troca de dados diretamente pelo televisor.

A discussão sobre a tecnologia começou em 1994 e envolveu governo, emissoras, empresas e universidades. O padrão implantado no Brasil foi o nipo-brasileiro (ISDB-T), uma adaptação da tecnologia japonesa a particularidades do território nacional. Atualmente, o sistema é adotado em 18 nações. Além de Brasil e Japão escolheram o ISDB-T Peru, Argentina, Chile, Venezuela, Equador, Costa Rica, Paraguai, Filipinas, Bolívia, Uruguai, Maldivas, Botsuana, Guatemala, Honduras, Sri Lanka e Nicarágua.

O gestor do projeto de implantação da TV Digital no país, William Zambelli, afirma que, na América do Sul, o Brasil foi a primeira nação a começar o desligamento do sinal analógico de TV. A ação começou por Rio Verde (GO), no dia 1º de março. No mundo, 60 países já completaram esse processo.

“Segundo a União Internacional de Telecomunicações (UIT) são 60 países que fizeram o desligamento completo, 59 estão em fase de transição, 19 definiram o padrão, mas não começaram o processo e 70 ainda não decidiram a tecnologia que vão utilizar”, elencou.

 

Aos poucos

Para garantir a cobertura do sinal para a toda a população, foram adotadas, desde 2006, medidas como a consignação de canais para as emissoras transmitirem os sinais analógico e digital ao mesmo tempo; o estabelecimento, em 2011, de um Processo Produtivo Básico (PPB) para a produção de televisores de tela plana com conversor digital embutido; e, mais recentemente, a distribuição de kits de antena e conversores digitais para os beneficiários do Bolsa Família. Os aparelhos permitem que os televisores de tubo também recebam o novo sinal.

“Se a gente fosse seguir a verão inicial do Decreto 5.820/06, nós iríamos desligar o sinal analógico em todo o Brasil hoje, dia 30. Mas, em 2013, depois de diversas pesquisas e estudos internacionais, foi decidida a alteração do cronograma de forma escalonada, já que não seria viável encerrar o sinal em uma única data devido à extensão territorial e diversidades do País”, afirma Zambelli.

 

A programação

Hoje, o calendário prevê até 2018 o desligamento das capitais, regiões metropolitanas e cidades em que seja necessário liberar a frequência usada pela TV analógica para a implantação da quarta geração da telefonia móvel, o 4G, na faixa de 700 MHz. Essa frequência foi leiloada em 2014 pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Atualmente, o 4G já está prestado na faixa de 2,5 GHz.

A próxima cidade no calendário de desligamento é Brasília, contando com mais nove municípios do Entorno do DF, em 26 de outubro. Confira o cronograma de desligamento aqui.

Publicado em NOTÍCIAS
Página 9 de 10