Nota11.04

 

O Fórum SBTVD – Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital, a partir do dia 10 de abril, passa a ter um novo presidente: José Marcelo do Amaral, diretor de Operações e Engenharia da Record TV. Aguinaldo Silva, diretor de P&D da TPV Vision Innovator, ocupa a vice-presidência. A escolha dos nomes que vão coordenar a entidade no biênio 2017–2019 ocorreu em São Paulo, na primeira reunião do novo Conselho Deliberativo, eleito em março.

Formado por 13 membros titulares e igual número de suplentes, a nova diretoria é composta por representantes dos setores de radiodifusão; fabricantes de equipamentos de recepção e de transmissão; software; e pelas universidades e centros de pesquisa. Os novos membros vão dar continuidade aos trabalhos de desenvolvimento tecnológico e de elaboração das melhores práticas para a implantação da TV Digital no Brasil.

José Marcelo do Amaral, que faz parte do Conselho Deliberativo do Fórum SBTVD desde a sua fundação, assume o cargo da presidência com a missão de dar continuidade aos trabalhos que vem sendo realizados. “Quero primeiro fazer um agradecimento especial ao Roberto Franco que prestou um serviço de excelência durante o período em que esteve na presidência. Meus maiores desafios serão o de fortalecer nossa relação entre os associados e segmentos da indústria de televisão que vivem um momento de grandes transformações, bem como manter as normas SBTVD vivas, acompanhando esses ciclos de inovação tecnológica, como por exemplo, o UltraHD e as novas formas de interatividade”.

O processo de implementação do sinal digital, que acontece gradativamente no Brasil, é outro desafio a ser enfrentado pela nova gestão. “Vou acompanhar de perto o processo de migração para a TV digital, cuidando para que tudo ocorra dentro das normas e do planejamento. Peço aos associados que nos ajude a manter o envolvimento e dedicação do trabalho voluntário realizado, o que nos permitiu chegar até aqui com muito sucesso”, enfatiza José Marcelo.

Aguinaldo, por sua vez, destacou em seu discurso a dedicação pelo Fórum SBTVD. “Estou nesta batalha desde agosto de 2006, dedicando à consolidação deste sistema. Junto com José Marcelo, o desafio é manter a continuidade do grande trabalho que vêm sendo feito”.

 

Sobre a nova diretoria

José Marcelo do Amaral é graduado em matemática, pós-graduado em sistemas de informação pela PUC-RJ e FGV-SP e possui MBA em Tecnologia da Informação pela USP-SP. Foi diretor do segmento de TV Aberta na SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão), tendo como principal desafio desenvolver a tecnologia de televisão digital para o Brasil, sendo o responsável pela sua implementação e expansão para todo o grupo da Record. Foi coordenador do Módulo de Mercado no Fórum SBTVD.

Já Aguinaldo Silva é graduado em engenharia e pós-graduado em sistema avançado de vídeo no Japão. Atua há mais de 30 anos na área de pesquisa e desenvolvimento de produtos relacionados. Desde 2008 é diretor de P&D na TPV Technology, grupo multinacional controladora das marcas AOC e Philips.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota12.09

 

As emissoras de TV estão se preparando para digitalizar seus sinais em municípios pequenos e cumprir o cronograma definido pelo governo. Entre 2019 e 2023, haverá o desligamento do sinal analógico nessas regiões, impactando uma audiência estimada em 77 milhões de pessoas.

Em conversa com o NaTelinha, Roberto Franco, diretor de redes e afiliadas e assuntos regulatórios do SBT, aponta a crise financeira de algumas prefeituras como fator que dificulta a digitalização de alguns locais. “O SBT tem tomado todas as providências para que nenhuma cidade fique de fora. Existe uma grande dificuldade, que no passado foi atendida pelas prefeituras, mas que no presente não tem como financiar como fizeram antes. As emissoras e o governo encontrarão uma solução para manter o acesso de todos os brasileiros a esse meio tão importante que é a TV aberta”.

Já o diretor de tecnologia da Globo, Raymundo Barros, defende o compartilhamento de infraestruturas entre as emissoras como um caminho para atingir a meta e evitar que 4.244 municípios fiquem sem TV aberta. “No caso da Rede Globo, já cobrimos hoje 20 milhões desses habitantes. O grande desafio será digitalizar os 57 milhões não cobertos e acreditamos que uma forma inteligente e viável de endereçar essa questão é buscar o compartilhamento de infraestrutura entre todas as Redes, não apenas abrigo, torre e energia, mas também com antenas e transmissores modulares. Essa é uma forma de vencer este grande desafio e cumprir a meta”.

Segundo Barros, este é um processo que exige a união de todas as partes. “Essa colaboração é fundamental para acelerar a implantação do sistema e para esclarecimento da população. O Japão, por exemplo, fez um processo de switch off que deve ser seguido. Para que a migração acontecesse de forma satisfatória, foram visitados 20 milhões de domicílios”.

A Globo atualmente cobre 100% dos habitantes cujos municípios têm o desligamento previsto para o final de 2016, e 97% e 88% dos moradores que vão passar pelo mesmo processo em 2017 e 2018, respectivamente, com 547 estações digitais no ar em todo o Brasil.

“Outro fator importante para atingir a meta, além dos investimentos e compartilhamento de infraestruturas, é o processo de ações efetivas de comunicação. A Rede Globo realiza diversas ações voluntárias como campanhas nacionais e treinamentos para o varejo e antenistas. Uma ação muito representativa, por exemplo, é a Patrulha Digital, na qual investimos na formação de multiplicadores nas localidades que estão sendo digitalizadas. Com parceiros locais, capacitamos jovens de cursos técnicos do SENAI para que tirem dúvidas da população e auxiliem na correta instalação dos equipamentos”.

Já a Record, por meio da assessoria de imprensa, informou que está investindo na ampliação da cobertura, ao mesmo tempo em que lida com o desafio de conquistar concessões de outros canais. “Temos um desafio em algumas cidades que ainda dependem da concessão de novos canais, parcerias com prefeituras e transmissores adequados. Em alguns casos, a recepção que hoje é feita por parabólica, pode passar a receber sinal livre, aberto, gratuito e terrestre”.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota08.09

O superintendente do Grupo RIC em Santa Catarina, Reynaldo Ramos, e o diretor regional, Silvano Silva, estiveram reunidos com autoridades, representantes de entidades e imprensa em Canoinhas/SC e Mafra/SC, no final de agosto, para lançar o sinal HD da RICTV Record. Agora, os moradores das duas cidades podem sintonizar a emissora e ter a qualidade de cinema dentro de casa.

Em Canoinhas, o lançamento foi durante um almoço no Hotel Planalto, e no fim do dia, o evento aconteceu no Hotel Susin, em Mafra. Desde 2011, quando a RICTV Record iniciou o processo de digitalização das emissoras, mais de R$ 35 milhões já foram investidos em tecnologia de ponta para garantir ainda mais qualidade de som e imagem aos telespectadores. 

O diretor regional destacou a importância desse investimento. “Nossa matéria-prima é o som e a imagem de qualidade. Por isso, temos investido, feito cada vez melhor e avançado o estado a dentro para dar oportunidade às pessoas de verem uma televisão de qualidade com uma programação nacional espetacular e regional cada vez melhor”.

Para assistir, basta fazer a busca automática pelo canal. Em Mafra, está sintonizado no 55.1 e em Canoinhas no 11.1.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota17.08

A emissora RIC TV, afiliada da Rede Record, agora pode ser assistida com sinal digital em toda Santa Catarina. O Grupo RIC, responsável pelo canal no estado e produção local no Paraná, divulgou que investiu mais de R$ 35 milhões no processo de digitalização, modernizando as sedes de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí e Chapecó. A aplicação ocorre desde 2011 e vai impactar quatro milhões de espectadores.

A antena ERI, importada dos Estados Unidos, foi instalada na região de Xanxerê e vai permitir, a partir de agora, que o público acompanhe a programação com qualidade de som e imagem. A modernização garante transmissões sem chuviscos ou interferências e sinal, também, para smartphones e tablets com antenas.

“Investimos no telespectador, para que ele tenha em casa imagem gratuita de cinema. Com isso, o Grupo RIC chega a 100% das suas emissoras com sinal digital: seis na RIC TV e uma na Record News SC”, avalia o diretor superintendente do grupo de mídia, Reynaldo Ramos Junior.

De olho nas adaptações tecnológicas, noticiários da casa passaram a adotar novos cenários, logos e vinhetas. É o caso do Jornal do Meio-Dia, SC No Ar e RIC Notícias. “As mudanças deixam a marca com tons mais suaves, levando uma imagem moderna e futurística, saindo do quadrado simples”, defende o gerente operacional do Grupo RIC em Santa Catarina, Marcelo Campanholo.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota05.08

Desde o final de julho, Lucas do Rio Verde entrou para a lista das cidades do estado do Mato Grosso que já disponibilizam o sinal de televisão aberta 100% digital. A TV Conquista, filiada da TV Record, agora é HDTV (High-Definition TV).

Com imagem e som altamente definidos, agora o telespectador pode assistir à programação e acompanhar as notícias do município e região com melhor qualidade, por meio de sinal que alcança um raio de até 50 km.

“Estamos levando para as casas dos luverdenses não apenas a imagem e som melhores, mas também qualidade de conteúdo. A cidade de Lucas do Rio Verde merece ter uma emissora com altíssima qualidade e a TV Conquista é a primeira a oferecer esse conjunto”, disse o diretor geral, Zico Zorteia.

O sinal digital da emissora não só está disponível para aparelhos de televisão, como também para smartphones que suportem aplicativos para HDTV.

Publicado em NOTÍCIAS