Nota11.10

 

A região de Ribeirão Preto está cada vez mais próxima da era digital. Apesar do sinal analógico da TV aberta ser desligado apenas em 27 de setembro de 2017, os moradores já começam a notar as primeiras mudanças em seus televisores.

Neste período de transição, os telespectadores passaram a ver, durante a programação de TV aberta, um alerta com a letra “A”, indicando que a transmissão é analógica. Com a proximidade do prazo para a migração, a letra “A” aparecerá com maior frequência. Dois meses antes do prazo, a indicação permanece fixa na tela. No dia 27 de setembro do próximo ano, o analógico é desligado e dá lugar ao sinal 100% digital.

Junto com Ribeirão Preto, o sinal analógico será desligado em outros 19 municípios da região: Altinópolis, Barrinha, Brodowski, Cravinhos, Jaboticabal, Jardinópolis, Luis Antônio, Morro Agudo, Orlândia, Pitangueiras, Pontal, Sales Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santo Antônio da Alegria, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho e Taquaral.

Published in NOTÍCIAS

Nota10.10

 

TV Globo, TV Gazeta e Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) firmaram uma parceria para auxiliar a população da Grande Vitória no processo de desligamento do sinal analógico, marcado para o dia 25 de outubro de 2017.

Alunos do Instituto vão passar por um período de aprendizado no próximo ano, para que possam fazer parte da Patrulha Digital. O intuito da ação é visitar domicílios da região e auxiliar os moradores em relação a dúvidas sobre o processo de transição e instalação do sinal digital nos televisores.

Segundo o diretor de projetos especiais da TV Globo, André Dias, todos os beneficiários do Bolsa Família e do Cadastro Único que moram no Espírito Santo vão poder se inscrever para ter direito a um kit de TV Digital, composto por conversor, cabo e antena. “Nós teremos uma equipe de técnicos da TV Globo junto com técnicos dos IFES, em que ministraremos aulas teóricas e práticas para que a população entenda como será esse processo”.

A assinatura do convênio aconteceu durante um congresso internacional em Vitória/ES. Marcello Machado, membro do conselho de Institutos Federais de Educação, considera que a capacitação pode trazer vantagens à carreira profissional desses alunos. “O aluno vai ter acesso a essa tecnologia nova e já vai enxergar um novo nicho de possibilidades de empregabilidade. São coisas que fazem com que nosso aluno tenha um ‘up’ na construção da sua carreira”.

Published in NOTÍCIAS

Nota07.10

A campanha obrigatória de aviso aos telespectadores sobre a transição do sinal analógico para digital, por parte das emissoras de TV, sofreu algumas mudanças recentemente.

Em reunião realizada pelo GIRED (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de canais de TV e RTV) no último dia 5 de outubro, foram definidas duas novidades: a fonte do letterboxing aumenta de 27 para 32; e o logotipo A, que evolui para a palavra “ANALÓGICO”, juntamente com a contagem regressiva, passa a ter fundo preto e letras brancas.

Anteriormente, o fundo era transparente e vinha causando certa dificuldade na visualização por parte dos telespectadores. Com tom mais escuro, espera-se uma imagem com melhor nitidez.

As alterações não serão publicadas em portaria e já estão vigentes desde o dia 6 de outubro.

Published in NOTÍCIAS

Nota04.10

 

A EPTV começou a preparar os telespectadores para o desligamento do sinal analógico de TV aberta, programado para 27 de setembro de 2017. Desde o último dia 2 de outubro, todos os canais abertos passaram a ter, durante a programação, um sinal com a letra “A” para indicar que o sinal é analógico.

Para que fosse possível a inserção destes alertas sobre o desligamento, desde março de 2016 a Rede Globo e todas as suas emissoras afiliadas adotaram o formato 16:9 Letterbox nas transmissões analógicas. Ou seja, na prática, os aparelhos mais antigos recebem a programação no formato que produz faixas pretas na parte superior e inferior.

A EPTV também iniciou uma campanha para reforçar junto ao telespectador as vantagens do sinal digital e de alta definição. Nas próximas semanas, a emissora realiza palestras para seus colaboradores, com o intuito de fornecer mais informações sobre esta transição. O cronograma será informado em breve.

Published in NOTÍCIAS

Nota03.10

 

Faltando pouco menos de um mês para o desligamento do sinal analógico em Brasília e nos municípios do entorno do Distrito Federal, governo e emissoras de televisão acertaram uma mobilização para garantir a recepção do sinal digital no maior número possível de domicílios até 26 de outubro. A expectativa é atingir 93% das residências, percentual mínimo exigido para o fim da transmissão analógica.

“Nessa reta final, vamos intensificar a conscientização da população sobre a implantação da TV digital e acompanhar as pesquisas. Estamos lutando por 100% de cobertura", afirmou a secretária de Comunicação Eletrônica do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Vanda Nogueira, durante reunião entre representantes do ministério, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e 75 emissoras que atuam em Brasília e no entorno do DF.

Segundo a secretária, a implantação do sistema digital num cenário de crise econômica é um desafio, já que as famílias precisam comprar um conversor para a recepção do sinal. Ainda assim, Vanda Nogueira classificou o momento como histórico para a televisão brasileira.

Published in NOTÍCIAS

Nota30.09

 

No dia 29 de setembro, diversas emissoras de TV da cidade de Brasília se reuniram no Ministério das Comunicações para apresentar as últimas atividades desenvolvidas para informar à população sobre o desligamento do sinal analógico no Distrito Federal.

De acordo com o coordenador de programação da TV Senado, Alberto de La Peña, hoje, a emissora cumpre todas as disposições legais e já opera com os dois sinais. Desde abril deste ano, a TV Senado vem divulgando uma campanha sobre o desligamento do sinal analógico para que os cidadãos se adaptem à mudança.

De acordo com o conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Rodrigo Zerbone, 85% da população do Distrito Federal já está preparada para o sinal digital. “Temos bastante tranquilidade em relação a essa data para Brasília, porque fizemos um trabalho de planejamento e de reavaliação do processo. Já temos um piloto feito em Rio Verde, a primeira cidade do Brasil a ser desligada. E toda essa experiência, trazida para Brasília, possibilitou que já alcancemos hoje percentuais muito elevados da população preparados para receber o sinal digital”.

A secretária de serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Vanda Jugurtha  Bonna Nogueira, disse que Brasília passa pelo processo de desligamento do sinal analógico com tranquilidade e que o desafio será a capital paulista, em março de 2017. “São Paulo tem tudo: é enorme e no mesmo  bairro se encontram pessoas carentes e pessoas de alto poder aquisitivo. Então vai ser um grande desafio. Mas nós vamos enfrentá-lo”.

Brasília será a primeira capital e a segunda cidade a realizar o desligamento do sinal analógico de televisão. Em 2017, está previsto o desligamento em outros 348 municípios, de oito estados brasileiros.

Published in NOTÍCIAS

Nota12.09

 

As emissoras de TV estão se preparando para digitalizar seus sinais em municípios pequenos e cumprir o cronograma definido pelo governo. Entre 2019 e 2023, haverá o desligamento do sinal analógico nessas regiões, impactando uma audiência estimada em 77 milhões de pessoas.

Em conversa com o NaTelinha, Roberto Franco, diretor de redes e afiliadas e assuntos regulatórios do SBT, aponta a crise financeira de algumas prefeituras como fator que dificulta a digitalização de alguns locais. “O SBT tem tomado todas as providências para que nenhuma cidade fique de fora. Existe uma grande dificuldade, que no passado foi atendida pelas prefeituras, mas que no presente não tem como financiar como fizeram antes. As emissoras e o governo encontrarão uma solução para manter o acesso de todos os brasileiros a esse meio tão importante que é a TV aberta”.

Já o diretor de tecnologia da Globo, Raymundo Barros, defende o compartilhamento de infraestruturas entre as emissoras como um caminho para atingir a meta e evitar que 4.244 municípios fiquem sem TV aberta. “No caso da Rede Globo, já cobrimos hoje 20 milhões desses habitantes. O grande desafio será digitalizar os 57 milhões não cobertos e acreditamos que uma forma inteligente e viável de endereçar essa questão é buscar o compartilhamento de infraestrutura entre todas as Redes, não apenas abrigo, torre e energia, mas também com antenas e transmissores modulares. Essa é uma forma de vencer este grande desafio e cumprir a meta”.

Segundo Barros, este é um processo que exige a união de todas as partes. “Essa colaboração é fundamental para acelerar a implantação do sistema e para esclarecimento da população. O Japão, por exemplo, fez um processo de switch off que deve ser seguido. Para que a migração acontecesse de forma satisfatória, foram visitados 20 milhões de domicílios”.

A Globo atualmente cobre 100% dos habitantes cujos municípios têm o desligamento previsto para o final de 2016, e 97% e 88% dos moradores que vão passar pelo mesmo processo em 2017 e 2018, respectivamente, com 547 estações digitais no ar em todo o Brasil.

“Outro fator importante para atingir a meta, além dos investimentos e compartilhamento de infraestruturas, é o processo de ações efetivas de comunicação. A Rede Globo realiza diversas ações voluntárias como campanhas nacionais e treinamentos para o varejo e antenistas. Uma ação muito representativa, por exemplo, é a Patrulha Digital, na qual investimos na formação de multiplicadores nas localidades que estão sendo digitalizadas. Com parceiros locais, capacitamos jovens de cursos técnicos do SENAI para que tirem dúvidas da população e auxiliem na correta instalação dos equipamentos”.

Já a Record, por meio da assessoria de imprensa, informou que está investindo na ampliação da cobertura, ao mesmo tempo em que lida com o desafio de conquistar concessões de outros canais. “Temos um desafio em algumas cidades que ainda dependem da concessão de novos canais, parcerias com prefeituras e transmissores adequados. Em alguns casos, a recepção que hoje é feita por parabólica, pode passar a receber sinal livre, aberto, gratuito e terrestre”.

Published in NOTÍCIAS
Página 8 de 8