Nota03.01

 

Mais de 80% dos lares brasileiros, cerca de 52 milhões de domicílios, estão prontos para receber o sinal digital de televisão, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada no mês de dezembro.

Nenhuma dessas casas serão afetadas pelo desligamento do sinal analógico, pois contam com opções de acesso à programação. Em 2013, 71,5% das residências tinham essas características.

Para garantir que a população de baixa renda tenha acesso ao sinal digital, as regiões previstas para serem desligadas recebem, meses antes da migração para o sinal digital, uma campanha de distribuição de conversores e antenas para as famílias beneficiárias de programas sociais do Governo Federal.

O secretário de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), André Borges, explica que a medida alcança os domicílios que ainda não estão prontos para a mudança, geralmente, por possuírem um televisor de tubo, que não é apto para receber o novo sinal. “Já existe um planejamento de distribuição dos kits de conversores digitais para os integrantes do Cadastro Único do Governo Federal, que fazem parte do grupamento definido pelo ministério. O número desse grupamento é de 11 milhões”.

O cronograma do desligamento do sinal analógico de TV prevê que, a partir de 31 de dezembro de 2018, capitais, regiões metropolitanas e localidades onde o desligamento é necessário para a implantação da telefonia móvel 4G sejam atendidas somente pelo sinal digital. As cidades fora dessa descrição devem ser desligadas até 2023.

Já passaram pela mudança do sinal o município de Rio Verde/GO, como teste piloto, e Brasília e cidades do entorno do Distrito Federal, onde foram distribuídos mais de 337 mil kits de conversor e antena.

Published in NOTÍCIAS

Nota01.12

 

Desligado há cerca de 15 dias, a transmissão analógica no Distrito Federal agradou a muitos brasilienses. Brasília foi a primeira capital do País a desligar o sinal e permanecer apenas com a TV digital.

Apesar do número satisfatório, 75 mil kits para distribuição, segundo comunicado da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) ainda estavam disponíveis para serem retirados. Famílias beneficiárias dos programas sociais do Governo têm direito a retirar o equipamento gratuitamente, com conversor, cabos e antenas.

Dona de casa, Clarice Oliveira, 56, recebeu o conversor por meio da Bolsa Família. A moradora de Samambaia, região administrativa que fica a 31 km do centro de Brasília, comemorou a ajuda. “Fiquei muito feliz quando assisti pela TV o anúncio de que íamos receber a ajuda. Ganho R$ 92 e não iria conseguir tirar do próprio bolso o dinheiro para pagar o conversor”.

Na casa de Clarice moram seis pessoas: os três filhos, marido e a mãe. Todos aprovaram a troca do analógico para o digital. “Agora, a imagem fica mais limpinha, com mais qualidade, né? Dá uma sensação de realidade a mais. Fora que depois da mudança, novos canais na TV aberta apareceram. Aprovamos a mudança”, diz a dona de casa.

O especialista em TV digital, Alexandre Kieling, 55, acredita que com a mudança, o Brasil dá o primeiro passo para o futuro. Segundo o professor da Universidade Católica de Brasília, a TV passa a funcionar na mesma lógica dos computadores e, portanto, passa a integrar uma grande “ambiência midiática”, ou seja, de um complexo sistema de produção, circulação e consumo de conteúdo audiovisual.

“É fato que se trata de um ambiente no qual a infraestrutura de transmissão terrestre é mais cara e que exige uma capacidade de dinheiro importante para sua plena implantação. Por outro lado, trata-se de um serviço gratuito e que é a única forma de acesso aos bens culturais – entretenimento e informação – para mais da metade da população brasileira”, explicou Kieling.

O mecânico Ronie Von Pereira, 40, conta que gastou R$ 70 para comprar um conversor para a TV da casa onde mora, em Sobradinho. Viciado em futebol e jornais, ele confessa que não hesitou em adquirir o aparelho quando recebeu a notícia do desligamento do sinal analógico. “Só de pensar em ficar sem assistir à televisão, já entrava em pânico. Apesar de ter TV a cabo, gosto muito de assistir aos canais abertos, principalmente aquele jogo de domingo”, explica.

 

Próximas regiões

A segunda região que terá o sinal analógico desligado vai ser São Paulo, em março de 2017. Logo em seguida virão Goiânia, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador, entre outras. A expectativa é que a transição completa ocorra até 2023.

Published in NOTÍCIAS

Nota30.11

 

Milhares de mineiros de algumas cidades do Estado estão a oito meses do desligamento do sinal analógico de TV e o número de domicílios aptos a receberem o sinal digital ainda é um mistério para o MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações). A pasta informou, porém, que a pesquisa de aferição sobre o nível de digitalização em Minas Gerais está prevista para abril de 2017.

Somente na semana passada, o Distrito Federal juntamente com outras nove cidades fizeram a transição, após terem o prazo adiado em três semanas, em virtude do não cumprimento do teto mínimo de 90% de residências aptas a receberem o novo sinal.

A data em Minas Gerais, marcada para começar no dia 26 de julho de 2017, pode passar por um adiamento, caso a lei federal que exige um número mínimo não seja cumprida. Segundo o MCTIC, o número usado por enquanto é o do PNAD/IBGE, de 2014, para ter uma dimensão da situação na região Sudeste. De acordo com o levantamento, apenas 46,8% dos domicílios possuem sinal digital, ou seja, menos da metade do total.

Published in NOTÍCIAS

Nota18.11

 

A TV analógica já faz parte do passado da população de Brasília e outros nove municípios do entorno do Distrito Federal e Goiás. A partir da meia-noite desta sexta-feira (18), 13 geradoras e 12 retransmissoras de TV locais deram início à era digital. Por 30 dias, elas transmitem uma cartela fixa com mensagem de alerta sobre o desligamento e informação sobre como sintonizar o canal digital.

A portaria que autoriza o fim das transmissões analógicas foi assinada pelo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, em cerimônia na sede da Anatel, que reuniu o presidente do Fórum SBTVD, Roberto Franco; a secretária de Comunicação do MCTIC, Vanda Bonna; o secretário de Telecomunicações, André Borges; o presidente da ABERT, Paulo Tonet Camargo; o presidente da Anatel, Juarez Quadros; e o presidente da AVEC, Flávio Lara Resende.

De acordo com Kassab, a experiência de Brasília será o grande teste para o restante do País. “Depois de semanas de muita tensão por conta da expectativa desse dia, hoje podemos dizer que o Brasil passa a contar com um projeto piloto devido à dimensão do Distrito Federal. Aqui foram encontradas diferentes situações que serão essenciais para o desligamento em São Paulo”.

Na capital do País e todo entorno, cerca de quatro milhões de pessoas passam a ter acesso, gratuitamente, à imagem e som em alta definição. As demais cidades da região central que vão ter o sinal analógico desligado são: Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

O próximo local a ter o sinal analógico desligado será São Paulo, em março de 2017. A primeira parte do desligamento no estado atingirá, somando a capital, 39 municípios.

Published in NOTÍCIAS

Nota17.11

 

A partir desta quinta-feira (17), o sinal analógico na TV aberta, oficialmente, deixará de fazer parte do cotidiano de milhões de moradores de Brasília e outros nove municípios no entorno do Distrito Federal e Goiás. Uma nova pesquisa de aferição coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) apontou que o índice mínimo de 90% (considerando a margem de erro de três pontos) das residências aptas a receber o sinal digital na região foi alcançado.

Entidade responsável por iniciar as tratativas de implementação do sinal digital e conduzi-las junto ao Governo Federal, o Fórum SBTVD comemora a concretização de um trabalho iniciado há mais de uma década. “Essa transição carrega uma importância muito grande para nós, que no dia 2 de dezembro de 2007 realizamos a primeira transmissão digital oficial. Pouco menos de dez anos depois, estamos aqui presenciando a realização de um sonho e vislumbrando as possibilidades que esse avanço tecnológico pode proporcionar para o crescimento do nosso País”, celebra o presidente, Roberto Franco, que faz questão de ressaltar: “Esta data, com certeza, ficará marcada na história”.

Na capital do País e todo entorno, cerca de quatro milhões de pessoas passam a ter acesso, gratuitamente, à imagem e som em alta definição. Para Roberto Franco, apesar de Rio Verde/GO ter sido a primeira cidade brasileira a interromper definitivamente o sinal analógico, em março deste ano, Brasília é quem credencia o Brasil a ingressar na era digital. “Pela grandiosidade e representatividade, Brasília, sem dúvida alguma, deve ser considerada nosso primeiro grande passo”.

As demais cidades da região central que vão ter o sinal analógico desligado são: Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

Published in NOTÍCIAS

Nota08.11

 

No final de outubro foi inaugurada oficialmente a torre de TV para transmissão do sinal digital da Novo Tempo, no Morro do Colorado, em Sobradinho. Desde o dia 23, o canal 48 passou a ser transmitido digitalmente para todo o Distrito Federal como 48.1.

O sinal analógico da TV Novo Tempo não será desligado enquanto não houver a total transição das emissoras na região, reagendada para o dia 17 de novembro. Segundo a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), pelo menos 80 mil famílias ainda não estão preparadas para o recebimento do novo sinal.

“Como uma igreja que buscar honrar as leis e regulamentos do País, estamos com a TV funcionando na data certa”, se alegra o pastor Charlles Britis, presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Distrito Federal e entorno.

Published in NOTÍCIAS

Nota28.10

 

Na Bahia, o desligamento analógico se inicia em 26 de julho do próximo ano. Junto à capital, Salvador, outros 19 municípios passam pelo processo. São eles: Aratuípe, Cairu, Camaçari, Candeias, Dias D'Ávila, Itaparica, Jaguaripe, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Maragogipe, Nazaré, Salinas da Margarida, Santo Amaro, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Saubara, Simões Filho, Terra Nova e Vera Cruz.

Afiliada da Rede Globo nas regiões Norte e Nordeste do País, a TV Bahia já se prepara para a chegada da era digital. Um novo transmissor já foi adquirido e um projeto de reforços de sinais em Salvador e região metropolitana está sendo estudado. O investimento total pode chegar a R$ 3 milhões.

Segundo Márcio Cardoso, gerente de Engenharia da emissora, a mudança significa uma evolução na maneira como a televisão chega às pessoas. “Isso é um avanço que proporciona melhor qualidade de som e imagem, e menos ruídos”.

Para ter acesso à transmissão digital, deve ser observado se já possui uma antena que recepcione o sinal ou televisor com conversor embutido. Caso a TV não tenha um conversor digital – ou setup box –, será necessário comprá-lo. Quem ainda assiste TV pelo sinal analógico recebe avisos na tela sobre a transição do sinal, que se tornam mais frequentes à medida em que a data da mudança se aproxima.

De acordo com o Ministério das Comunicações, as famílias beneficiárias do Bolsa Família vão receber gratuitamente conversores de sinal digital para que não fiquem sem ter a programação.

Published in NOTÍCIAS

Nota26.10

 

O Gired (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV) – formado por Anatel, Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e representantes de radiodifusores e empresas de comunicação – decidiu adiar a obrigatoriedade do desligamento da TV analógica em Brasília para o dia 17 de novembro. Na prática, a mudança permite que as emissoras desliguem o sinal na data que preferirem, entre 26 de outubro e 17 de novembro.

A decisão foi tomada em função do não atingimento dos percentuais mínimos de domicílios aptos a receber o sinal da TV digital. A mais recente pesquisa Ibope apontou para um percentual de 89% dos domicílios aptos, chegando a 90% na projeção. Mas pelos critérios das emissoras de TV, o percentual ficou em 87%. Ficou aberta, entretanto, a possibilidade de que os radiodifusores façam o desligamento voluntário antes da data, especialmente as retransmissoras. Essa possibilidade será negociada diretamente entre o MCTIC e as emissoras de TV.

Em Brasília/DF, o desligamento do sinal analógico envolve 25 canais diferentes, sendo 13 geradores e 12 retransmissores. Famílias de baixa renda (até três salários mínimos ou meio salário mínimo per capita), que são atendidas por programas sociais, têm direito a receber gratuitamente os conversores, máquinas de adaptação dos aparelhos de TV antigos para o novo sinal. De acordo com a Anatel, 90 mil equipamentos para esse grupo ainda estão disponíveis.

 

*Matéria atualizada em 26/10, às 13h34

Published in NOTÍCIAS

Nota25.10

 

Em 25 de outubro de 2017, o sinal analógico de TV aberta será desligado em diversas cidades do Rio de Janeiro e as transmissões dos canais serão feitas apenas por meio digital, que proporciona imagem e som de melhor qualidade, livre de chiados, chuviscos e fantasmas.

Além da capital carioca, a era do sinal digital chega a outros 18 municípios do estado: Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Petrópolis, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti, Seropédica e Tanguá.

Durante o período de transição, os telespectadores passam a ver um sinal com a letra “A” em seus televisores, indicando que o sinal da TV é analógico. Com a proximidade do prazo para a migração do sinal, a letra “A” será veiculada com maior frequência. Dois meses antes do prazo, a indicação permanece fixa na tela.

Published in NOTÍCIAS

Nota18.10

 

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, sinalizou a possibilidade de atraso de algumas semanas no desligamento da TV analógica e na transição para a TV digital em Brasília, mas sem ultrapassar, porém, o limite deste ano. De acordo com o cronograma vigente, a transição no Distrito Federal está marcada para 26 de outubro.

A região é a primeira a fazer a transição para o sistema de TV digital depois do teste piloto no município de Rio Verde/GO. A mudança garantirá à população acesso a sinal com mais qualidade de som e imagem, além de ferramentas de conectividade. Além disso, a transição vai liberar a faixa de 700 MHz para as operadoras de telefonia, que buscam a expansão da oferta da telefonia 4G no Brasil por meio dessa faixa.

“Se não acontecer (agora), vai acontecer algumas semanas depois. Está avançando muito, as empresas estão fazendo publicidade, e os consumidores estão se preparando”, afirmou Kassab em entrevista à imprensa durante a 18ª edição da Futurecom, feira do setor de telecomunicações.

Pela determinação legal, ao menos 93% dos domicílios devem estar habilitados para receber o sinal digital, seja por meio dos novos aparelhos de televisão ou da instalação de conversores. O ministro mencionou que as pesquisas indicam que 85% das residências já estão aptas às mudanças. “Falta muito pouco para atingir o mínimo de 93%. Acredito que o prazo será mantido, mas, caso atrase, serão só algumas semanas”, completou.

Published in NOTÍCIAS
Página 7 de 8