Nota13.04

 

Quase 50% das famílias goianas que têm direito ao kit gratuito para assistir à TV com sinal digital ainda não retiraram o equipamento, segundo o presidente da Anatel, Juarez Quadros do Nascimento. O sinal analógico vai ser desligado na capital de Goiás e mais 28 cidades no dia 31 de maio. “Temos 280 mil kits para entregar em Goiânia e nas outras cidades. Quase metade das famílias beneficiadas ainda não buscaram o equipamento”, revelou o presidente.

O kit digital é composto por antena, conversor do sinal de TV e controle remoto para ser utilizado em televisões mais antigas ou que não tenham receptor de sinal digital integrado. Tem direito aos aparelhos a população cadastrada em programas sociais do Governo Federal.

Goiânia será a terceira grande cidade no País em que as TVs passam a transmitir apenas o sinal digital. Para isso, é necessário que pelo menos 93% dos televisores já estejam adaptados à nova tecnologia. É necessário instalar uma antena UHF e, em televisões mais antigas, colocar um conversor de sinal.

Para solicitar o equipamento é necessário acessar o site da Seja Digital e informar o CPF ou Número de Identificação Social.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota06.04

 

Cerca de 22 milhões de brasileiros que vivem em 39 cidades da grande São Paulo já têm acesso à TV digital. Desde o dia 29 de março o sinal analógico de transmissão foi desligado na capital paulista, que agora possui apenas a TV aberta e gratuita.

“O desligamento da TV analógica de São Paulo significa praticamente o sucesso de todo o Brasil, uma vez vencida a etapa de desligar uma cidade do porte e dimensão de São Paulo, com certeza é a garantia de sucesso do processo em todo o restante do país”, destacou Roberto Franco, atual presidente do Fórum SBTVD – Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre.

Foram mais de dez anos de estudos, testes e desenvolvimento tecnológico para chegar a estágio atual de oferecer a transmissão com a qualidade de imagem e som digitais.  Um trabalho conjunto realizado pelo Fórum SBTVD, com a participação das emissoras de radiodifusão, indústrias de software, fabricantes de equipamentos de recepção e transmissão, universidades e centros de pesquisa e do governo federal.

As vantagens do sinal digital incluem a capacidade de ser assistida em dispositivos móveis; a multiprogramação, que comporta a transmissão de diferentes programações em um mesmo canal; a interatividade entre emissoras e telespectador; guia eletrônico de programas.

 

Pesquisas

A televisão é o meio de comunicação mais popular do país, presente em 97% dos lares, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNDA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Pesquisa Brasileira de Mídia 2016 (PBM 2016), realizada pelo Governo federal, aponta que a TV segue como meio de comunicação predominante no País. Segundo os resultados da PMB 2016, 63% dos entrevistados buscam informações nos telejornais diários e 77% afirmam assistir à TV todos os dias da semana, com predominância de segunda à sexta-feira. A pesquisa ainda revela que o telespectador passa, em média, de 60 a 120 minutos em frente ao televisor.

 

Planejamento

A implantação da TV digital no Brasil é um processo planejado desde 2006 pelo governo federal e a iniciativa privada, que tem como principal interlocutor o Fórum SBTVD - Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre.

Este trabalho conjunto proporcionou a criação das normas técnicas para TV digital e a criação de mecanismos que facilitaram o processo de implantação nas cidades brasileiras, tais como o estabelecimento do Processo Produtivo Básico (PPB) que determinou que todos os televisores produzidos no país a partir de 2011 tivessem o conversor digital embutido, entre outras diversas ações.

A promoção da TV digital no Brasil e no exterior também é tema constante de discuções nas reuniões entre os membros do Fórum SBTVD e o governo federal. Por conta deste trabalho, são 17 países com o mesmo sistema de TV digital adotado no Brasil, representando novos mercados para as empresas nacionais.

 

Cronograma

No mundo, apenas 60 países já finalizaram a transição da TV analógica para digital e o Brasil é o primeiro país da América do Sul a iniciar o desligamento analógico. Rio Verde (GO) foi à primeira cidade brasileira a ter o sinal desligado, em fevereiro de 2016. 30 dias após o desligamento, uma pesquisa mostrou que 98% dos domicílios tinham capacidade de receber o sinal de TV digital. Em outubro de 2016, o sinal analógico foi desligado em Brasília e nas cidades satélites.

Após São Paulo, a próxima capital a ter o sinal analógico desligado será Goiânia e cidades do entorno, em 31 de maio de 2017. No segundo semestre, passarão pelo processo de desligamento Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, Recife, Sobral e Juazeiro do Norte em julho; Campinas, Franca, Ribeirão Preto, Santos e municípios da região do Vale do Paraíba terão o sinal de TV analógica desligado em setembro e, o Rio de Janeiro e Vitória em outubro.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota05.04

 

O desligamento do sinal analógico de TV em Belo Horizonte e outras 38 cidades da Região Metropolitana está previsto para o dia 27 de julho de 2017, e não é cogitada a possibilidade de adiamento.

Por isso, a Associação Mineira de Rádio e Televisão (AMIRT), juntamente com a Associação de Emissoras de Rádio e TV (ABERT), a Seja Digital e o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais (SERTMG) lançam na prefeitura da capital mineira, neste dia 6 de abril, uma campanha de desligamento do sinal de TV analógico. Participam da cerimônia o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, e os presidentes da AMIRT, Mayrinck Júnior; da ABERT, Paulo Tonet; e do SERTMG, Francisco Bessa.

A TV digital já está disponível em Belo Horizonte e na grande maioria das demais cidades que fazem parte dessa primeira fase do desligamento. O sinal possui alta qualidade no som e imagem perfeita, sem interferências, fantasmas, chuviscos ou ruídos, tão presentes no sinal analógico que muita gente até já se acostumou.

 

Quem assiste TV aberta deve ficar atento

A partir do dia 12 de maio de 2017, quem assiste à TV aberta com sinal analógico vai perceber uma mudança. Trata-se da intensificação da campanha de comunicação para o desligamento do sinal, que segue cronograma definido pelo Governo Federal e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Os moradores dessas cidades que ainda recebem o sinal analógico enxergam um “A” no canto superior da tela da TV. Isso é um alerta sobre o aparelho, que ainda não tem sinal digital e precisa ser trocado.

É possível sintonizar a TV digital em qualquer tipo de aparelho. Para um bom sinal, é preciso instalar um conversor e uma antena externa, e fazer a busca de canais para assistir à programação digital. Já as TVs de tela fina, mais modernas e fabricadas após 2012, já têm o conversor integrado. Nessas, basta conectar a antena externa na TV e sintonizar os canais digitais por meio de uma busca automática.

As emissoras de TV analógicas também devem estar atentas às inserções com as informações sobre o desligamento do sinal analógico, previstas na Portaria 378/2016 do MCTIC. Já estão sendo veiculados alertas, tarjas e cartelas durante a programação.

 

Kit digital

O Governo Federal vai distribuir, gratuitamente, 422 mil kits para famílias de baixa renda cadastradas em algum programa social (Luz para Todos, Minha Casa Minha Vida, Pronatec e Bolsa Família), contendo conversor, antena, cabos e conectores.

Para saber quem pode participar desses programas e ter direito a receber o kit gratuitamente, basta ligar para o número 147 ou acessar www.sejadigital.com.br.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota28.03

 

Está confirmado o desligamento do sinal analógico da TV aberta na cidade de São Paulo e em 38 municípios de seu entorno, para amanhã, dia 29 de março. A informação foi dada hoje após a reunião realizada em Brasília/DF, entre MCTIC (Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) e GIRED (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV), que decidem sobre o processo de migração das TVs analógicas para os canais digitais.

Segundo pesquisa realizada pelo IBOPE, 90% das residências do município de São Paulo e dos demais municípios que terão o sinal analógico desligado, já estão aptas a receber o sinal digital da TV aberta. De acordo com a pesquisa, a meta de 93%, para o efetivo desligamento, conforme estipulado em portaria do Governo Federal, foi alcançada com folga, já que os 90% demonstrados foram confirmados sem o deflator (redução de aparelhos de tela “fina” ou plana, considerados digitais, que no caso se estabelece 8%), tendo ainda a contagem da margem de erro de 3%.

Quase dez anos depois de ser a primeira cidade a transmitir o sinal digital, em dezembro de 2007, a cidade de São Paulo será a primeira capital de um estado a contar somente com o sinal digital.

 

Benefício

Quase 1 milhão de famílias receberam gratuitamente os conversores digitais e antenas, segundo dados da Seja Digital, que é a entidade responsável pela distribuição destes equipamentos às famílias inscritas nos programas sociais do governo Federal. Outros 200 mil conversores já estão agendados para instalação. O objetivo é chegar a 1.8 milhão de conversores e antenas distribuídos.

 

Cronograma

A primeira cidade que teve o sinal analógico desligado foi Rio Verde (GO), como um piloto da operação, em março de 2016. Em Rio Verde, 30 dias depois do desligamento, uma pesquisa mostrou que 98% dos domicílios estavam digitalizados. Em outubro de 2016 foi a vez de Brasília e as cidades do entorno.

Até 2018, o sinal de TV analógica deverá ser desligado em todas as capitais, regiões metropolitanas e cidades que tenham necessidade de liberação da faixa de 700 MHz para a entrada do serviço de 4G.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota24.02

O Gired (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV) se reuniu no dia 20 de fevereiro para revisar e aprovar o novo manual das regras de comunicação obrigatórias para o desligamento da televisão analógica. As normas já valem para São Paulo, próximo local a desligar o sinal, no dia 29 de março de 2017.

Entre as mudanças, está o formato da contagem regressiva para o desligamento, que passa a ficar no lado superior esquerdo e não abaixo do logo “analógico” como antes. O tamanho da fonte do letterboxing passa de 27 para 32, e a cor da tela de fundo pós-desligamento muda do preto para o cinza, o que vai gerar uma economia de 25% na energia.

O engenheiro da Abratel – Associação Brasileira de Rádio e Televisão e integrante do Gired, André Felipe Trindade, aponta a importância dessas mudanças. “As novas regras facilitam para o telespectador, principalmente àqueles que assistem a televisão de tubo pequena, para que possam ler melhor e identificar que estão assistindo à televisão analógica”.

Para acessar o manual completo e conferir todos os detalhes das mudanças anunciadas pelo Gired, clique aqui.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota02.02

 

Desde o dia 30 de janeiro, 89 municípios da Grande Porto Alegre e regiões de Caxias do Sul e Santa Cruz do Sul começaram a contagem regressiva para a migração ao sistema de TV digital que vem sendo implementado no País desde o ano passado. 

Agora, os moradores que ainda contam com o sinal analógico de TV começaram a receber mensagens de aviso durante a programação diária: em três momentos do dia será exibido um A (de analógico) no canto superior direito da tela e uma mensagem em texto na parte inferior. Conforme o passar dos meses, os avisos serão intensificados e permanecem até o dia 31 de janeiro de 2018, data em que essas cidades desligam a transmissão analógica e passam a receber, de forma definitiva e gratuita, sinal em alta definição de som e imagem.

O novo sistema digital também vai oferecer aos gaúchos recursos interativos, dos quais as emissoras podem se beneficiar para gerar conteúdos adicionais.

Em 2016, o sinal analógico de TV já foi desligado nas cidades de Rio Verde/GO, que serviu de projeto-piloto, e Brasília/DF. Os próximos desligamentos acontecem em São Paulo, em março; Goiânia, em maio; e Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador, todos em julho.

Confira os municípios do Rio Grande do Sul que iniciaram a transição digital: Alto Feliz, Alvorada, Araricá, Arroio do Meio, Arroio dos Ratos, Balneário Pinhal, Barão, Barão do Triunfo, Barra do Ribeiro, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Bom Retiro do Sul, Brochier, Butiá, Cachoeirinha, Campestre da Serra, Campo Bom, Canela, Canoas, Capela de Santana, Capivari do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Charqueadas, Cidreira, Colinas, Dois Irmãos, Eldorado do Sul, Estância Velha, Esteio, Estrela, Farroupilha, Fazenda Vilanova, Feliz, Flores da Cunha, Garibaldi, General Câmara, Glorinha, Gramado, Gravataí, Guaíba, Harmonia, Igrejinha, Imbé, Imigrante, Ivoti, Lajeado, Linha Nova, Monte Belo do Sul, Montenegro, Morro Reuter, Nova Petrópolis, Nova Roma do Sul, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Osório, Palmares do Sul, Pareci Novo, Parobé, Paverama, Picada Café, Portão, Porto Alegre, Presidente Lucena, Rolante, Santo Antônio da Patrulha, São Francisco de Paula, São Jerônimo, São José do Hortêncio, São José do Sul, São Leopoldo, São Marcos, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Tabaí, Tapes, Taquara, Taquari, Teutônia, Tramandaí, Três Coroas, Triunfo, Tupandi, Vale Real, Veranópolis, Viamão, Westfália, Xangri-Lá.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota01.02

 

Levantamento realizado pelo Ibope Inteligência na capital paulista e Grande São Paulo mostra que 96% dos pesquisados já ouviram falar em sinal analógico, e 88% têm conhecimento de que será desligado dentro de 60 dias – em 29 de março.

O resultado da pesquisa torna mais difícil adiar o desligamento. Pelo critério mais rigoroso de avaliação estipulado pelos difusores, esse índice deveria ser de no mínimo 81%. Já pelo critério defendido por operadoras, a porcentagem deveria ser igual ou superior a 83%.

Na Grande São Paulo, o índice de conhecimento é bem mais satisfatório em relação ao apresentado em Brasília, no período que antecedeu o desligamento: abaixo de 80%. Segundo fontes ouvidas pela coluna, com esses números não há como argumentar pelo adiamento do desligamento na região paulista.

A pesquisa mostra que as classes mais pobres (C, D e E) se prepararam para não ficar sem a TV aberta em tempos de crise. No entanto, ainda há uma faixa mais pobre da população que ainda não recebeu equipamentos para a conversão do sinal.

Se o cronograma se confirmar, São Paulo e outras cerca de 30 cidades da região vão encerrar definitivamente o sinal analógico em 29 de março.

Os dados da pesquisa devem ser apresentados em São Paulo ainda nesta semana. Eles mostram ainda que 58% dos entrevistados (em São Paulo) acreditam que realmente o sinal analógico será desligado na data prevista.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota01.12

 

Desligado há cerca de 15 dias, a transmissão analógica no Distrito Federal agradou a muitos brasilienses. Brasília foi a primeira capital do País a desligar o sinal e permanecer apenas com a TV digital.

Apesar do número satisfatório, 75 mil kits para distribuição, segundo comunicado da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) ainda estavam disponíveis para serem retirados. Famílias beneficiárias dos programas sociais do Governo têm direito a retirar o equipamento gratuitamente, com conversor, cabos e antenas.

Dona de casa, Clarice Oliveira, 56, recebeu o conversor por meio da Bolsa Família. A moradora de Samambaia, região administrativa que fica a 31 km do centro de Brasília, comemorou a ajuda. “Fiquei muito feliz quando assisti pela TV o anúncio de que íamos receber a ajuda. Ganho R$ 92 e não iria conseguir tirar do próprio bolso o dinheiro para pagar o conversor”.

Na casa de Clarice moram seis pessoas: os três filhos, marido e a mãe. Todos aprovaram a troca do analógico para o digital. “Agora, a imagem fica mais limpinha, com mais qualidade, né? Dá uma sensação de realidade a mais. Fora que depois da mudança, novos canais na TV aberta apareceram. Aprovamos a mudança”, diz a dona de casa.

O especialista em TV digital, Alexandre Kieling, 55, acredita que com a mudança, o Brasil dá o primeiro passo para o futuro. Segundo o professor da Universidade Católica de Brasília, a TV passa a funcionar na mesma lógica dos computadores e, portanto, passa a integrar uma grande “ambiência midiática”, ou seja, de um complexo sistema de produção, circulação e consumo de conteúdo audiovisual.

“É fato que se trata de um ambiente no qual a infraestrutura de transmissão terrestre é mais cara e que exige uma capacidade de dinheiro importante para sua plena implantação. Por outro lado, trata-se de um serviço gratuito e que é a única forma de acesso aos bens culturais – entretenimento e informação – para mais da metade da população brasileira”, explicou Kieling.

O mecânico Ronie Von Pereira, 40, conta que gastou R$ 70 para comprar um conversor para a TV da casa onde mora, em Sobradinho. Viciado em futebol e jornais, ele confessa que não hesitou em adquirir o aparelho quando recebeu a notícia do desligamento do sinal analógico. “Só de pensar em ficar sem assistir à televisão, já entrava em pânico. Apesar de ter TV a cabo, gosto muito de assistir aos canais abertos, principalmente aquele jogo de domingo”, explica.

 

Próximas regiões

A segunda região que terá o sinal analógico desligado vai ser São Paulo, em março de 2017. Logo em seguida virão Goiânia, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador, entre outras. A expectativa é que a transição completa ocorra até 2023.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota30.11

 

Milhares de mineiros de algumas cidades do Estado estão a oito meses do desligamento do sinal analógico de TV e o número de domicílios aptos a receberem o sinal digital ainda é um mistério para o MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações). A pasta informou, porém, que a pesquisa de aferição sobre o nível de digitalização em Minas Gerais está prevista para abril de 2017.

Somente na semana passada, o Distrito Federal juntamente com outras nove cidades fizeram a transição, após terem o prazo adiado em três semanas, em virtude do não cumprimento do teto mínimo de 90% de residências aptas a receberem o novo sinal.

A data em Minas Gerais, marcada para começar no dia 26 de julho de 2017, pode passar por um adiamento, caso a lei federal que exige um número mínimo não seja cumprida. Segundo o MCTIC, o número usado por enquanto é o do PNAD/IBGE, de 2014, para ter uma dimensão da situação na região Sudeste. De acordo com o levantamento, apenas 46,8% dos domicílios possuem sinal digital, ou seja, menos da metade do total.

Publicado em NOTÍCIAS

Nota18.11

 

A TV analógica já faz parte do passado da população de Brasília e outros nove municípios do entorno do Distrito Federal e Goiás. A partir da meia-noite desta sexta-feira (18), 13 geradoras e 12 retransmissoras de TV locais deram início à era digital. Por 30 dias, elas transmitem uma cartela fixa com mensagem de alerta sobre o desligamento e informação sobre como sintonizar o canal digital.

A portaria que autoriza o fim das transmissões analógicas foi assinada pelo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, em cerimônia na sede da Anatel, que reuniu o presidente do Fórum SBTVD, Roberto Franco; a secretária de Comunicação do MCTIC, Vanda Bonna; o secretário de Telecomunicações, André Borges; o presidente da ABERT, Paulo Tonet Camargo; o presidente da Anatel, Juarez Quadros; e o presidente da AVEC, Flávio Lara Resende.

De acordo com Kassab, a experiência de Brasília será o grande teste para o restante do País. “Depois de semanas de muita tensão por conta da expectativa desse dia, hoje podemos dizer que o Brasil passa a contar com um projeto piloto devido à dimensão do Distrito Federal. Aqui foram encontradas diferentes situações que serão essenciais para o desligamento em São Paulo”.

Na capital do País e todo entorno, cerca de quatro milhões de pessoas passam a ter acesso, gratuitamente, à imagem e som em alta definição. As demais cidades da região central que vão ter o sinal analógico desligado são: Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

O próximo local a ter o sinal analógico desligado será São Paulo, em março de 2017. A primeira parte do desligamento no estado atingirá, somando a capital, 39 municípios.

Publicado em NOTÍCIAS
Página 1 de 2